Nogueira Editorial

Livros


Deixe um comentário

Marketing digital para pequenas empresas – É possível?

Pequenas empresas e profissonais liberais podem utilizar o marketing digital? Sim, é possível. E mais, é certo que esta será a principal ferramenta, nos próximos anos e a única fonte de sobrevivência para aqueles negócios que hoje ainda dependem do público passante.A democratização da Internet vem mudando a estrutura do cotidiano. As distâncias já não assustam e o cliente pode estar do outro lado do globo. Exigi-se mais conhecimento, isto é verdade, e não será possivel ficar só no amadorismo. Se as pequenas empresas não se adequarem, certamente sucumbirão. O marketing digital engloba redes sociais, blogs e sites. Eu, pessoalmente, acredito na força da comunicação para vender o “peixe”. O blog para isto é a ferramenta mais indicada. Através dele sua empresa estabelece contato com os clientes e apresenta seus produtos e inovações. Para o profissional liberal é a chance de abrir o conhecimento e mostrar ao público o seu diferencial. Enfim, o blog é um tremendo canal de idéias. O Facebook é o “monstro” que vem dominando as redes sociais. São milhões e em breve bilhões de usuários. Com a possibilidade de se criar uma fã page, ficou fácil para as empresas criarem a sua página e mostrar aos usuários suas qualidades e interesses. O único capital exigido é a criatividade. É ela que fara a diferença na hora de conquistar a atenção do cliente. Veja abaixo alguns exemplos. Se a sua empresa necessita destas ferramentas, consulte-nos: artlivrosraros@hotmail.com /  Clique na foto e adquira no nosso e-shop o produto que fará a diferença no seu negócio.

 

Visite: www.lavanderiauniverso.wordpress.com

             www.cervezamanzanares.wordpress.com

            www.dogpub.wordpress.com

Gostou do nosso Blog? Não deixe de curtir nossa página no Facebook. Boa leitura.

 


Deixe um comentário

Marketing digital é realizado por 90% das empresas – Crie seu blog

No Brasil, e-mail marketing lidera ranking e está presente em 80% das companhias, seguido por redes sociais, com 67%. O marketing digital virou uma realidade para as empresas brasileiras.  90% das marcas presentes no País realizam ações de marketing digital, segundo a Pesquisa Marketing Visão 360º, realizada pelo Mundo do Marketing, em parceria com a TNS Research International, empresa de pesquisa de mercado Ad Hoc (customizada). O estudo levantou as principais ações de marketing trabalhadas durante o ano de 2010 e apontou que o e-mail marketing é a mais realizada entre as empresas, alcançando 80%, seguido por redes sociais, com 67%, e links patrocinados, com 53%. Acompanhando a grande onda das redes sociais, cerca de 66% das empresas estão presentes com ações de marketing nessas mídias. Sendo que 92% delas utilizam o Twitter, 69% estão presentes no Facebook e 58% no Orkut. Além disso, da parcela das empresas que não utilizam as redes sociais, 64% entrarão a partir de 2011. No campo da otimização de buscadores, as ações de marketing consideradas mais efetivas são as campanhas SEM (Search Engine Marketing) com 51%, seguidas por SEO (Search Engine Optimization) com 47% e links patrocinados, com 39%. Seguindo a tendência da mobilidade e convergência de mídias cada vez mais presentes na palma da mão dos consumidores brasileiros, as ações de mobile marketing prometem ganhar mercado em 2011. Em fase de desenvolvimento, somente 22% das empresas realizaram alguma ação em 2010. Porém, a expectativa é que 54% das empresas devam usar a ferramenta esse ano.

Um dos hobbies que adquiri nos últimos tempos foi analisar blogs. Se transformou em um hobbie porque é muito engraçado a forma que as empresas encontram para “vender” sua imagem. Com a necessidade da conectividade, muitos não planejam e acabam lançando sites/blogs que só denigrem a imagem corporativa da empresa. Seja pequena, média ou grande empresa, o site não deve ser uma porta se fechando para o negócio. Existem duas razões principais para se ter um bom blog:

1. Credibilidade

Este é o objetivo principal. O Blog é uma ferramenta de comunicação e não apenas uma ferramenta de vendas. É uma maneira de assegurar aos clientes que sua empresa é séria e profissional. Um site também permite mostrar as perspectivas do negócio, sendo um recurso valioso ao dar informações úteis, relatórios especiais, links relevantes e assim por diante, mas a função primordial do site é vender.

2. Manter relacionamentos

Cada vez mais, empresas de pequeno porte estão se voltando para a web como um meio de baixo custo de comunicação com seus clientes e de manter o relacionamento com eles. Ferramentas como blogs, boletins eletrônicos, vídeo clipes e fóruns ajudam a atingir esses objetivos.O básico de um blog:

Um Blog corporativo deve atender aos quesitos mínimos de estética e usabilidade. Todo bom blog corporativo deve:

* Ter aparência limpa, polida e profissional, combinando com sua marca e suas informações;
* Ser fácil de navegar e usar;
* Ter conteúdo de fácil leitura, que toque o emocional do cliente;
* Dar aos clientes caminhos para interagir com a empresa, de preferência através das redes sociais.

Mantenha o foco e não busque nada extravagante para o site da sua empresa. Lembre-se: existe a necessidade de um  posicionamento online. Isto faz a diferença para um grande numero de visitas e propagação da marca.

Quer fazer o blog da sua empresa? Consulte-nos: artlivrosraros@hotmail.com

 


Deixe um comentário

Empresas e livros – VID Curitiba investe nos livros

Iniciativas que visam o incentivo da leitura nos fazem acreditar, ainda mais, na educação como base e alicerce para um mundo melhor. As corporações têm aberto os olhos para esta realidade. Não só as escolas ou universidades devem formar o cidadão. Empresas também devem participar deste processo. Atuando na profissionalização e formação de valores éticos e sociais. Não importa o tamanho da empresa. Importante é a qualidade de vida e a ética que oferecem para o desenvolvimento dos seus colaboradores. Entre estas ofertas estão o conhecimento e o “ócio criativo”. Certamente, ferramentas poderosas para desenvolver a criatividade e a comunicação oral e escrita. Acreditar que a educação continua sendo a mãe do desenvolvimento faz a Votorantim investir nos livros e incentivar a leitura. O setor de DHO (Desenvolvimento humano e organizacional) acaba de criar mais um espaço para leitura. Trata-se de uma biblioteca que poderá ser utilizada pelos funcionários da VID/CURITIBA (Votorantim Industrial), para empréstimos e consultas de livros. O espaço conta com livros de literatura, nacional e estrangeira, técnicos, artes e idiomas. A iniciativa partiu do DHO. Acreditando na força dos livros resolveu implantar a biblioteca na VID. Também contou com o apoio da Coordenadora Silvana Pagno, uma das principais incentivadoras e doadora de livros.  A idéia é disseminar o hábito da leitura entre os colaboradores. Os títulos encontrados são diversos. Não estando restritos aos livros técnicos ou publicações acadêmicas. É possível encontrar autores como Millôr Fernandes ou Scott Fitzgerald. Certamente um oásis para aqueles que gostam e aprenderam a dar valor aos livros  e suas histórias. A Votorantim esta de parabéns e nós da Artlivros continuaremos a incentivar e apoiar atitudes como esta.

 

Leia sem moderação!


Deixe um comentário

O Feitiço da Apple – Exemplo de qualidade no atendimento ao cliente

O feitiço da Apple está no óbvio. Ela mima o cliente.

“Farei tudo que estiver ao meu alcance para ajudá-la, quero resolver seu problema.” Ao ouvir Richard, funcionário do serviço de atendimento ao cliente da Apple nos Estados Unidos, pronunciar essa frase ao telefone pensei: as regras jurídicas para proteger o consumidor no mercado americano devem ser muito severas.   Eu tinha gravado uma entrevista no meu iPod, mas o aparelhinho travou e me deixou na mão. Começou, assim, meu contato com o suporte da companhia de Steve Jobs. Perder uma manhã de sábado resolvendo pepinos de assistência técnica é um mico para muita gente. Para mim, o périplo tecnológico revelou muito a respeito do mito chamado Apple. Qualquer curso básico de gestão ensina que as empresas precisam “encantar o cliente”. O que a Apple faz é mais que isso. Enfeitiça. A companhia adota uma tática tremendamente óbvia: leva ao pé da letra essa regra mágica. No meu caso, o empenho do atendente ao telefone foi só uma parte do encantamento. Durante as quatro horas da ligação, me ocorria que eu era uma consumidora do Brasil, seguramente um mercado muito pequeno para a Apple. Lembrei disso novamente quando, na semana passada, liguei para o meu banco e pedi para me explicarem por que o sistema de Internet Banking havia me bloqueado. A pergunta: “A senhora é cliente preferencial, ou é assim… conta simples?” Embora seja preferencial, fiquei chocada com a discriminação. O “simples” se repetia como um eco nos ouvidos, o que me remeteu à saga da Maçã. Na Apple, não há cliente de segunda classe e o atendimento é o mesmo para todos. O iPod foi trazido por um amigo que viajou para os Estados Unidos. O atendente, então, baseou-se apenas no número da série do aparelho e na inscrição simples que fiz quando o sincronizei ao programa iTunes, da Apple, que solicita os dados pessoais do consumidor. No mais, ele tinha do outro lado da linha, apenas, um cliente angustiado. Desconhecia o nível de renda, profissão ou formação. “Tente esse programa para destravar a gravação.” Tentativa malsucedida. “Entre nesse site e veja se tem sucesso.” Novamente, não.  Richard não jogou a toalha. “Terei de lhe indicar parceiros nossos de aplicativos.” Assim fomos, com variados testes, até que eu mesma propus que desistíssemos. “Não, vamos testar ao menos mais outro.” E assim fomos, sucessivamente, até que Richard conseguiu destravar a entrevista com o economista Gustavo Franco, publicada nesta edição (ufa!). A experiência me deixou impressionada e apreensiva. Impressionada, porque ficou clara a razão pela qual os apaixonados fãs de Steve Jobs fazem filas gigantes para adquirir os aparelhos da Apple, como se viu na semana retrasada em algumas capitais do Brasil, loucos para comprar seu iPad 2. Os clientes da Apple não apenas gostam do produto. Relacionam-se com a empresa com  veneração e fervor quase religiosos. A apreensão, por sua vez, vem da constatação de que o Brasil ainda está longe desse patamar de qualidade e se acostumou a um atendimento capenga, em que os 0800 não funcionam, os call centers enrolam o cliente e as reclamações não são respondidas, principalmente se forem consumidores do tipo “simples”.

A Apple muda o parâmetro.

Por Carla Jimenez (Revista Dinheiro – 08/06/2011


Deixe um comentário

Pequenas empresas e blogs – Ferramentas para desenvolver seu negócio.

Pequenas empresas são altamente beneficiadas pela Internet. Oportunidade para mostrar produtos e captar clientes estão entre as benesses que a Internet oferece aos usuarios. A criação de um blog é fundamental para que as empresas se comuniquem com seus clientes e fornecedores. Através dele seus produtos e serviços acabam sendo revelados e  apresentados.  E isto, desconhece fronteiras. Veja abaixo algumas vantagens de se ter um blog:

Vantagens do blog corporativo:

- Estreitar relacionamento com clientes;
- Atrair tráfego através de conteúdo de qualidade;
- Abrir espaço para que o usuário expresse suas opiniões e tire suas dúvidas;
- Ser um canal informativo sobre as novidades e lançamentos de sua empresa;
- Tornar-se referência, publicando notícias interessantes em seu segmento.

O que chamamos de “Blog corporativo” não deve assustar aqueles que possuem uma pequena empresa ou exercem uma atividade liberal. Estes, mais do que nunca, necessitam ampliar sua rede de atuação e interação. O blog atua nestas esferas e proporciona um canal de comunicação direto entre cliente/empresa. Só não podemos esquecer que criatividade e inovação são ferramentas indispensaveis. Por isso enfatizamos a necessidade da leitura. A escrita continua sendo a ferramenta ideal apesar das inovações tecnológicas. É através dela que sua empresa conquistara clientes e apresentara propostas e produtos para um universo infinito de internautas. Não há limites. Mais do que nunca os empreendedores necessitam prestar atenção e investir nas inovações tecnológicas. A Artlivros desenvolve seu blog e o conteúdo. Soluções para cada tipo de negócio. Pequenas, médias ou grandes, nós temos a solução. Precisa desenvolver textos para o seu blog corporativo? Consulte-nos. Profissionais liberais também podem contar com nossas soluções.

Contato: artlivrosraros@hotmail.com

 


Deixe um comentário

Blog Corporativo – Sua empresa já tem um?

 Os tempos mudaram. E a tecnologia define esta nova era. A comunicação instantânea demoliu as barreiras que separam consumidor/empresa. A comunicação on-line alastra as informações. O duplo-virtual acaba sendo, muitas vezes, a sede de uma empresa ou de um negócio lucrativo. Através do monitor é possivel realizar negócios e levar a imagem da empresa mundo afora. Obviamente que o idioma inglês predomina. Outra barreira que precisa e deve ser transposta é a da comunicação escrita. Mesmo com toda tecnologia a escrita se faz presente e exige daqueles que buscam a internet para apresentar seus produtos ou idéias.  Mudou o Lay-out e os instrumentos mas a escrita continua exercendo sua maestria. É através dela que sua empresa comunicara aos clientes os produtos, eventos, ideias e filosofia. Este diálogo influencia o consumo e a fidelização dos  clientes. Nada mais antigo….e com que recursos! Parece exagero mas acredito que o Blog  é a ferramenta mais poderosa e barata para divulgar uma empresa. Plena democracia! Proporciona à pequena, média e grande empresa as mesmas oportunidades. Nem Marx sonhou com esta possibilidade! Quando bem direcionado, o Blog, de uma pequena empresa pode competir com o Blog de uma Mega empresa…mas isto depende apenas do quesito “criatividade” e “opinião”. O que as empresas precisam descobrir é que o “BLOG” é uma necessidade. O diferencial na hora de conquistar o mercado, clientes e até mesmo o mundo. Acredite…a comunicação, mais do que nunca, é chave para o sucesso. Saia na frente e divulgue a sua empresa. Micro, pequena, média ou GIGANTE…esqueça…na internet todas podem ser ENORMES. Para isso basta criatividade e respeito pela inteligência do consumidor. Vale lembrar que o BLOG pode ser uma ótima ferramenta de comunicação interna das empresas. Divulgando ações e talentos que valorizam a empresa e seus funcionarios.

Boa leitura!

Quer saber mais? Contate-nos. A Artlivros desenvolve seu blog.


Deixe um comentário

Inglês de negócios – melhorando a comunicação part I

 Escrever em inglês é um terror para muita gente. Apresentar um relatório ou redigir um simples e-mail pode fazer suar frio. Há o “São Google” com sua incrivel habilidade de tradução mas toda sua tecnologia não consegue imprimir o ritmo humano da comunicação. Então, o que fazer? Nada…além de estudar e aprender os macetes da lingua inglesa. Para isso resolvi postar dicas de um site muito procurado no exterior para inglês de negócios que é o: www.mindtools.com . Neste site são apresentadas ferramentas, cursos e dicas sobre redação. Obviamente que tudo esta em inglês.  De maneira simplificada  e didatica, o aluno, consegue desenvolver seu texto e aprimorar a escrita. Reiteramos que para qualquer desenvolvimento, seja em idioma estrangeiro ou no nosso portugues, é necessario leitura e aprimoramento do vocabulario. Esquecer a leitura é um erro terrivel e pode representar a diferença entre uma bem sucedida carreira e o “escravagismo”. Lembre-se que o sucesso profissional começa com uma formação diferenciada. Muitas vezes esta formação não esta apenas no banco das universidades! Enjoy your trip….

 Plan before you start writing (planeje antes de começar a escrever.)

 A colleague has just sent you an email relating to a meeting you’re having in one hour’s time. The email is supposed to contain key information that you need to present, as part of the business case for an important project. But there’s a problem: The email is so badly written that you can’t find the data you need. There are misspellings and incomplete sentences, and the paragraphs are so long and confusing that it takes you three times more than it should to find the information you want. As a result, you’re under-prepared for the meeting, and it doesn’t go as well as you want it to.

Have you ever faced a situation similar to this? In today’s information overload world, it’s vital to communicate clearly, concisely and effectively. People don’t have time to read book-length emails, and they don’t have the patience to scour badly-constructed emails for “buried” points. The better your writing skills are, the better the impression you’ll make on the people around you – including your boss, your colleagues, and your clients. You never know how far these good impressions will take you! In this article, we’ll look at how you can improve your writing skills and avoid common mistakes.

Audience and Format

The first step to writing clearly is choosing the appropriate format. Do you need to send an informal email? Write a detailed report? Create advertising copy? Or write a formal letter? The format, as well as your audience, will define your “writing voice” – that is, how formal or relaxed the tone should be. For instance, if you write an email to a prospective client, should it have the same tone as an email to a friend?

Definitely not.

Start by identifying who will read your message. Is it targeted at senior managers, the entire human resources team, or a small group of engineers? With everything you write, your readers, or recipients, should define your tone as well as aspects of the content.

Composition and Style

Once you know what you’re writing, and for whom you’re writing, you actually have to start writing.

A blank, white computer screen is often intimidating. And it’s easy to get stuck because you don’t know how to start. Try these tips for composing and styling your document:

  • Start with your audience – Remember, your readers may know nothing about what you’re telling them. What do they need to know first?
  • Create an outline – This is especially helpful if you’re writing a longer document such as a report, presentation, or speech. Outlines help you identify which steps to take in which order, and they help you break the task up into manageable pieces of information.
  • Use AIDA – If you’re writing something that must inspire action in the reader, follow the Attention-Interest-Desire-Action (AIDA) formula. These four steps can help guide you through the writing process.
  • Try some empathy – For instance, if you’re writing a sales letter for prospective clients, why should they care about your product or sales pitch? What’s the benefit for them? Remember your audience’s needs at all times.
  • Use the Rhetorical Triangle – If you’re trying to persuade someone to do something, make sure that you communicate why people should listen to you, pitch your message in a way that engages your audience, and present information rationally and coherently. Our article on the Rhetorical Triangle can help you make your case in the most effective way.
  • Identify your main theme – If you’re having trouble defining the main theme of your message, pretend that you have 15 seconds to explain your position. What do you say? This is likely to be your main theme.
  • Use simple language – Unless you’re writing a scholarly article, it’s usually best to use simple, direct language. Don’t use long words just to impress people.

Structure

Your document should be as “reader friendly” as possible. Use headings, subheadings, bullet points, and numbering whenever possible to break up the text. After all, what’s easier to read – a page full of long paragraphs, or a page that’s broken up into short paragraphs, with section headings and bullet points? A document that’s easy to scan will get read more often than a document with long, dense paragraphs of text. Headers should grab the reader’s attention. Using questions is often a good idea, especially in advertising copy or reports, because questions help keep the reader engaged and curious.

In emails and proposals, use short, factual headings and subheadings, like the ones in this article. Adding graphs and charts is also a smart way to break up your text. These visual aids not only keep the reader’s eye engaged, but they can communicate important information much more quickly than text.

Grammatical Errors

You probably don’t need us to tell you that errors in your document will make you look unprofessional. It’s essential to learn grammar properly, and to avoid common mistakes that your spell checker won’t find. Here are some examples of commonly misused words:

  • Affect/effect
    • “Affect” is a verb meaning to influence. (Example: The economic forecast will affect our projected income.)
    • “Effect” is a noun meaning the result or outcome. (Example: What is the effect of the proposal?)
  • Then/than
    • “Then” is typically an adverb indicating a sequence in time. (Example: We went to dinner, then we saw a movie.)
    • “Than” is a conjunction used for comparison. (Example: The dinner was more expensive than the movie.)
  • Your/you’re
    • “Your” is a possessive. (Example: Is that your file?)
    • “You’re” is a contraction of “you are.” (Example: You’re the new manager.)
    • Note: Also watch out for other common homophones (words that sound alike but have different spellings and meanings) – such as their/they’re/there, to/too/two, and so on.
  • Its/it’s
    • “Its” is a possessive. (Example: Is that its motor?)
    • “It’s” is a contraction of “It is.” (Example: It’s often that heavy.) (Yes, it is this way around!)
  • Company’s/companies(and other possessives versus plurals)
    • “Company’s” indicates possession. (Example: The company’s trucks hadn’t been maintained properly.)
    • “Companies” is plural. (Example: The companies in this industry are suffering.)

To learn more about commonly misused words, misused apostrophes, and other grammatical errors, take our Bite-Sized Training session on Written Communication. 

Tip:
Some of your readers – arguably an increasing number – won’t be perfect at spelling and grammar. They may not notice if you make these errors. But don’t use this as an excuse: there will usually be people, senior managers in particular, who WILL notice! Because of this, everything you write should be of a quality that every reader will find acceptable. 

Proofing

The enemy of good proofreading is speed. Many people rush through their documents, but this is how you miss mistakes. Follow these guidelines to check what you’ve written:

  • Proof your headers and subheaders – People often skip these and focus on the text alone. Just because headers are big and bold doesn’t mean they’re error free!
  • Read the document out loud – This forces you to go more slowly, so that you’re more likely to catch mistakes.
  • Use your finger to follow text as you read – This is another trick that helps you slow down.
  • Start at the end of your document – Proofread one sentence at a time, working your way from the end to the beginning. This helps you focus on errors, not on content.

 

Key Points

More than ever, it’s important to know how to communicate your point quickly and professionally. Many people spend a lot of time writing and reading, so the better you are at this form of communication, the more successful you’re likely to be. Identify your audience before you start creating your document. And if you feel that there’s too much information to include, create an outline to help organize your thoughts. Learning grammatical and stylistic techniques will also help you write more clearly; and be sure to proof the final document. Like most things, the more you write, the better you’re going to be!

 

Boa leitura!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 57 outros seguidores