Novos museus pelo mundo

 

Revitalizados ou tinindo de novos, confira alguns espaços que merecem ser visitados pelo mundo:
PAVILHÃO DAS CULTURAS BRASILEIRAS – BRASIL

 /  

O Pavilhão das Culturas Brasileiras, aberto no mês passado, no Parque Ibirapuera, em São Paulo, reúne um acervo de obras populares, indígenas e contemporâneas. O prédio foi projetado por Oscar Niemeyer e está recebendo a exposição Puras Misturas, até 12 de setembro. A mostra reúne 1.600 peças criadas por artistas conceituados de diferentes épocas, como a tela Altar do Sacrifício, do sergipano Antonio Maia; e a escultura Luta dos Índios Kalapalos, de Victor Brecheret. Por enquanto, apenas o térreo e o subsolo do edifício estão sendo usados – o primeiro andar está em reforma, com previsão de abertura para 2011.
Serviço
Pavilhão das Culturas Brasileiras. Parque Ibirapuera, portão 10, São Paulo, Brasil. Entrada Gratuita. Aberto de terça a domingo, das 9 às 18 horas.

 CENTRE POMPIDOU-METZ – FRANÇA

 /  

A primeira “filial” do Centro Pompidou, de Paris, acaba de ser inaugurada em Metz, na região da Lorena, no leste da França. O novo espaço, que foi assinado pelo japonês Shigeru Ban e pelo francês Jean de Gastines, ocupa uma área de 10 mil metros quadrados e lembra um entrelaçado em rede de malha larga. A única referência ao Pompidou de Paris é a torre em aço e vidro no centro do edifício. Com seus 77 metros de altura, ela faz alusão ao ano de inauguração da matriz parisiense, em 1977. Em sua primeira exposição, intitulada Obras-primas, o Centre Pompidou-Metz traz esculturas, fotografias e videoinstalações de artistas célebres do século 20 – entre os quais Jean Dubuffet, Pablo Picasso, Marc Chagall, Max Ernst, Wassily Kandisky, Alberto Giacometti, Fernand Léger, Jackson Pollock e Miró.
Serviço
Centre Pompidou-Metz. 1, parvis des Droits de l’Homme, Metz, França. Ingressos: 7 euros. Informações: http://www.centrepompidou-metz.fr/site/

 

MUSEU NACIONAL DE NUREMBERG – ALEMANHA

 /  

Depois de seis anos em reformas, o Museu Nacional Germânico (Germanisches National Museum), em Nuremberg (Alemanha), ganhou novas alas de visitação. Mesmo assim, do total de 1,3 milhão de peças que fazem parte do acervo, apenas 25 mil objetos estão sendo expostos. O museu – que apresenta itens da pré-história até hoje – possui uma grande coleção telas, com destaque para as obras de artistas alemães como Albrecht Dürer, Martin Behaim e Adam Kraft. Outros destaques são um antigo globo terrestre de 1492 e escultutras, como “Satirikus”, de Franz Xaver Messerschmidt (1736-1783). Em cooperação internacional com as universidades de Harvard e Yale, está sendo preparada para 2012 a exposição Der frühe Dürer (O jovem Dürer).
Serviço
Germanisches National Museum. Kartäusergasse 1, Nuremberg, Alemanha. Ingressos: 6 euros. Informações: http://www.gnm.de/index_en.html

 MUSEU CHOPIN – POLÔNIA

  /

Como parte das comemorações do bicentenário de nascimento de Frédéric Chopin (1810-1849), Varsóvia acaba de reabrir o museu dedicado ao compositor, que passou por uma grande modernização. Localizado no antigo palacete Ostrogski, o espaço ganhou salas multimídia e estrutura de última geração para preservar partituras musicais, rascunhos e outros objetos pertencentes ao artista polonês. O museu é ordenado por temas, com espaços voltados a diferentes aspectos da vida do compositor. Uma sala dedicada ao período em que viveu em Paris guarda o último piano em que ele compôs. A última sala é voltada a morte de Chopin, aos 39 anos, em outubro de 1849. Os visitantes observam sua máscara mortuária e uma mecha de cabelo, guardada pela família. No espaço, também ocorrem recitais.
Serviço
Museu Chopin. ul. Okólnik 1, Varsóvia, Polônia. Entrada: 22 zloty (5,36 euros). Mais informações: http://chopin.museum/en

 

MAXXI – ITÁLIA

 /

Instalado nos arredores do Parco di Villa Glori, ao norte da Villa Borghese, em Roma, o Maxxi – Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo leva a assinatura da premiada arquiteta iraquiana Zaha Hadid, que projetou um complexo de formas fluidas, com enormes salas de cimento armado iluminadas em grande parte por luz natural. O acervo do espaço de arte contemporânea conta com cerca de 300 obras – entre esculturas, vídeos, pinturas e instalações – de artistas como Alighiero Boetti, Anish Kapoor, Anslem Kiefer e Andy Warhol, bem como projetos de arquitetos do século 20.
Serviço
Maxxi – Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo. Via Guido Reni, 4 A, Roma, Itália. Entrada: 11 euros
(menores de 14 anos não pagam).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s