Investindo em obras de arte – Parte 1

Entre os chamados “investimentos alternativos” há uma opção que tem avançado nos paises emergentes; trata-se dos objetos de arte. Chamamos de objetos de arte tudo o que se relaciona com pintura, desenho, gravuras, antiguidades e livros. Universo imenso e que precisa de cuidados para não tornar-se um pesadelo no futuro. A maioria esquece que para ingressar nesta área é necessário investir, antes, em educação e pesquisa. Não se trata da educação formal mas da educação estética. Aquela que ira leva-lo a apreciar e conhecer os “detalhes” do objeto desejado. Isto leva tempo e com certeza, ainda assim, não o protegera de adquirir uma “geladeira”. Educação é a chave para equiparar o investidor pequeno ao grande investidor. É possivel  o pequeno investidor conseguir encontrar um ótimo “objeto” com um pequeno orçamento e obter um grande lucro.  Desde que eduque o seu senso estético e pesquise muito para conhecer os “truques” do mercado. Por isso, investir em arte é tão ou mais perigoso que investir em ações. Mas há pessoas  que insistem nos chamados milagres e na pura “sorte”. Adquirindo tudo o que aparece e apostando nas chamadas “pechinchas”. São vitimas da própria ignorância e do apetite voraz da vaidade.  Trataremos aqui, e nos futuros posts, do investidor e não do colecionador. O colecionador tem e busca uma relação diferente com o objeto adquirido. Acredito que o primeiro passo para o investidor é descobrir o seu gosto e definir sua relação com o “objeto” desejado. Pesquisar, observar e iniciar com modéstia. Mesmo que possua condições para iniciar com um Modigliani ou um Renoir.  O grande alento, para os que estão descobrindo o fascinante mundo da arte,  é que a arte brasileira esta barata e desconhecida do velho mundo. Mas certamente, nos próximos anos, teremos a arte brasileira despontando no cenário mundial e batendo recordes. Quem viver verá. E não se esqueça: Tal como as ações, os objetos de arte precisam de tempo para adquirir robustez no seu valor. Investir em arte pensando no lucro imediato é prejuizo na certa!

Dica de leitura: Ter e manter – Phillip Blom – Editora Record (clique na foto e conheça nossa livraria virtual especializada em livros de arte.

 

 

Artlivros

 

2 comentários sobre “Investindo em obras de arte – Parte 1

  1. Muito Bom post!

    Sou um Verdadeiro fã de antiguidades e do estilo retro!

    Acho ainda que encontrei ai alguma informação muito útil! Se Voces quiserem ver, podem sempre dar ai um salto pois tem o calendario nacional das feiras onde se podem encontrar alguns achados! e ainda como vender ou comprar arte e velharias e antiguidadesComo ganhaar dinheiro com a venda de artigos velhos, antiguidades ou até velharias indiscriminadas. Saiba como, onde e quando vender os seus artigos em desuso, e claro, fazer dinheiro!
    http://www.vendervelharias.blogspot.com

    Abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s