A Casa dos Amigos dos Livros – Maison des amis des livres –

  Imagine voltar no tempo, precisamente 1915, numa manhã de inverno, e encontrar Adrienne Monnier e sua ajudante colocando uma banca de livros na calçada. O mais curioso seria observar a emoção das duas, intimidadas, pelos transeuntes que paravam, uns atrás dos outros, para olhar o conteúdo das caixas. A livreira não tinha dinheiro para comprar todas as obras que gostava. Por isso, a Maison Des Amis des Livres nasceu de uma necessidade econômica; quase todo o acervo fora garimpado entre os saldos dos editores franceses. Era possivel encontrar todas as edições da Mercure France e da Nouvelle Revue Française. O  fascinante desta livraria, além do acervo, estava nos frequentadores. Não foi a toa que esta livraria teve um papel considerável na difusão da cultura dos anos loucos, no inicio do século XX.  André Breton foi um dos primeiros a descobrir a qualidade do acervo. Depois vieram Aragon, Soupault, Guillaume Apollinaire, Pierre Reverdy, fundador da revista Nord-Sud, e tantos outros. A livreira organizava reuniões memoraveis. Convidava os amigos, Léon Fargue, Paul Léautaud, Max Jacob, Erik Satie…depois de lida as obras, todos aproveitavam um coquetel. Adrienne não foi apenas livreira. Além de organizar sessões de leituras editou livros. Entre eles, uma Obra Prima, Ulisses de James Joyce. Ela traduziu a obra para o frances. Sua amiga, Sylvia Beach, americana, encarregou-se da tradução para o inglês. Em 1919, seguindo um conselho da amiga Adrienne, Sylvia abriu a livraria Shakespeare & Cie, na rua Dupuytren. Dois anos depois, mudou-se para a rua do Ódeon, nº12, em frente a Maison des Amis des Livres. O endereço tornou-se um ponto de encontro para os escritores americanos que visitavam Paris. Hemingway ganhava créditos e podia emprestar livros. Ezra Pound rondava por lá. E foi ele quem convenceu James Joyce a vir para Paris.  Reza a lenda que em fevereiro de 1929, a versão francesa de Ulisses apareceu na vitrine da Maison des Amis des Livres. Adrienne enviou-a a Paul Claudel, cliente assíduo da livraria, então embaixador da França em Washington. Claudel respondeu assim:

Perdoe-me se lhe devolvo o livro que possui, acho eu, um certo valor comercial e que para mim não tem o menor interesse. Algum tempo atrás, perdi algumas horas lendo o retrato do artista quando jovem, do mesmo autor, e já foi o bastante.”

Paul Claudel foi incapaz de saborear a essência modernista de Ulisses. Detestava Joyce e acabou sendo detestado pelos surrealistas, mas isto é uma outra história…

PS – Naquela época Ulisses era uma verdadeira causa literária.

Anúncios

As 10 maiores livrarias do mundo – Pesquisa “The Guardian”

1) Boekhandel Selexyz Dominicanen em Maastricht, Holanda

Localizada numa antiga igreja de 800 anos. Os arquitetos holandeses transformaram esta antiga construção num templo dos livros. Localizada na cidade de Maastricht.

2) El Ateneo em Buenos Aires

Famosa livraria portenha. Um enorme anfiteatro repleto de livros e um charmosos café. Você pode sentar e ler um livro calmamente enquanto observa o movimento.

3) Livraria Lello no Porto

Uma das mais famosas do mundo. Localizada num esplêndido edificio artnoveau na cidade do Porto

 4) Quarteirão dos segredos comic bookstore em Los Angeles

Um dos maiores acervos de quadrinhos do mundo. Próxima de Hollywood. Uma das mais preciosas do mundo.

5) Borders em Glasgow, Escócia 

Localizada num edificio projetado por Archibald Elliot in 1827  para o Royal Bank. Impressiona pela beleza da construção e o conteúdo selecionado. Um dos templos da leitura no mundo, situada na Escócia.

6) Scarthin’s in the Peak District

Localizada no Peak District. Vende livros novos e de segunda mão desde 1970 Possui um charmoso café com uma sala de exibição de curiosidades no primeiro piso.

7) Posada, Bruxelas

Localizada numa velha casa próximo a igreja  St Magdalen’s em Bruxelas. Famosa pela coleção de livros de arte. Possui uma excelente coleção de catálogos de exposições e leilões realizados na Europa.

8) El Péndulo no Mexico

Esta livraria tem um dos melhores points da cidade do México. Possui uma pequena seção de livros em inglês. Especializada em livros de arquitetura. Famosa pelo café.

9) Keibunsya em  Kyoto

Especializada em arte japonesa. Lugar agradavel e com acervo selecionado. Possui titulos em inglês.

10) Hatchards em Londres

Hatchards, em Piccadilly, atua desde 1797, é a mais aristocraticadas livrarias. Oscar Wilde e Lord Byron eram clientes habituais. Um delirio para os leitores e um perigo para o bolso. É sem duvida a melhor do mundo.

Bibliotecas digitais – descubra aqui a melhor para sua pesquisa

Nada melhor do que poder pesquisar sem o incomodo de peregrinar de biblioteca em biblioteca ou de sebo em sebo atrás de algum livro esgotado. Para ajudar quem precisa de tempo e comodidade, pois a tecnologia existe somente para isso, indicamos abaixo uma lista de acervos. Nestes links voce poderá visitar alguns dos mais completos e ricos acervos do mundo. Boa leitura.

 A França no Brasil: portal digital conjunto das bibliotecas nacionais da França e do Brasil com mapas, fotografias, textos impressos e desenhos sobre a relação entre a França e o Brasil desde o século XVI até o início do século XX.

* Access to Knowledge (A2K): site do movimento “Acesso ao Conhecimento”, que procura promover novos paradigmas para a criação e distribuição da cultura.

* Acervo Digital da Unesp: biblioteca digital de teses e documentos publicados na Universidade.

* Acesso Livre: portal da CAPES com periódicos, teses, dissertações e outras publicações acadêmicas.

* Arquivo Público do Estado de São Paulo: site da instituição que abriga aproximadamente 25 mil metros lineares de documentação textual, um acervo iconográfico com cerca de um milhão de imagens e alguns milhares de rolos de microfilmes.

* BiblioFyL: biblioteca digital criada pelos alunos da Universidade de Buenos Aires para disponibilizar o material de consulta acadêmica dos cursos de letras e filosofia.

* Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: integra os sistemas de informação de teses e dissertações existentes nas instituições de ensino e pesquisa brasileiras e estimula o registro e a publicação dessas teses em meio eletrônico.

* Biblioteca Digital Brasiliana: projeto referência em digitalização de acervos no Brasil, fica no Universidade de São Paulo.

* Biblioteca Digital Gallica (França): biblioteca digital da Biblioteca Nacional da França. Tem um acervo de mais de 1 milhão de documentos, incluindo livros, manustritos, cartas, imagens, revistas e jornais, partituras, músicas e letras de músicas.

* Biblioteca Digital IPB (Portugal): reúne a produção científica do Instituto Politécnico de Bragança.

* Biblioteca Nacional de Portugal: disponibiliza o conteúdo digitalizado da Biblioteca Nacional do país.

* Biblioteca Nacional Digital do Brasil: Biblioteca Digital da Fundação Biblioteca Nacional.

Bookshare: disponibiliza livros para pessoas com deficiências visuais.

* Cibertecário 0.2: blog sobre bibliotecas, informação e tecnologias, acesso livre do português Eloy Rodrigues, Diretor dos Serviços de Documentação de Universidade do Minho.

* Computers Museum: museu virtual alemão dedicado à preservação de jogos de computador.

* Consumers International: organização sem fins lucrativos que luta pelo direito à informação e direito do consumidor, no geral.

* Copyright for Librarians: projeto do Berkman Center da Universidade de Havard que provê informações sobre direitos autorais para bibliotecas de 50 países.

* Curadoria de Memória do Fórum da Cultura Digital: Acervo Digital: blog do Rogério Lourenço dedicado a discutir as grandes questões que envolvem a digitalização de acervos.

* Digitaal Erfgoed Nederland: órgão holandês dedicado à preservação do patrimônio cultural.

* Digital Book World: comunidade de discussão sobre livro digital e bibliotecas na rede.

* Digital Strategies for Heritage: conferência bienal realizada na Europa pelo órgão de proteção ao patrimônio holandês sobre digitalização de acervo.

* Domínio Público: portal que disponibiliza arquivos em domínio público em português e outras línguas.

* Dspace: software para construção de repositórios digitais abertos. É licenciado em Creative Commons.

* Electronic Information for Libraries: programas dedicados ao acesso ao conhecimento para fins educacionais e promoção da cidadania.

 European Virtual Museum: coalizão de vinte e sete museus europeus que exibe pela Internet artefatos da história das antigas civilizações européias no formato tridimensional.

* Europeana: plataforma de busca que integra diversas bibliotecas digitais europeias.

* Fedora-Commons: software para repositórios digitais desenvolvidos por universidades dos Estados Unidos.

* Google Books: serviço do Google que procura textos completos de livros scanneados por eles.

* Literatura UFSC: fonte primária e gratuita de textos literários do Brasil e Portugal em versão integral.

* Livros Raros: projeto de restauração de livros raros dos séculos XVI, XVII, XVIII e XI do Mosteiro de São Bento da Bahia.

* Open Access and Institutional Repositories with EPrints: software para criar repositório online de informações, com acervo de textos de diversos países do mundo.

* Projeto Gutemberg: primeiro repositório de ebooks.

* Rede da Memória Virtual Brasileira: projeto da Biblioteca Nacional que integra diversos acervos sobre a cultura brasileira.

* Repositorium Universidade do Minho: acervo de teses e dissertações produzidas na universidade.

* Scielo: livraria online de artigos científicos brasileiros.

* Stanford Copyright & Fair Use Center: projeto da universidade de Stanford sobre direito autoral.

* Teses e Dissertações USP: banco de textos acadêmicos produzidos na instituição.

* Wikimedia Fundation: instituição que luta pelo acesso ao conhecimento e compartilhamento de informações pela rede.

* World Digital Library: biblioteca digital internacional operada pela UNESCO e pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.

 

Livrarias do mundo

Livraria Lello - Porto/Portugal

Quem é apaixonado pelos livros, dificilmente passa incólume por uma livraria. Algumas das mais charmosas estão no velho mundo. Mas na Argentina e no Brasil também podemos encontrar verdadeiros Oasis. Boa Viagem!

Livraria Bertrand - Portugal/Lisboa
Livraria City Lights - NY
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Shakespeare and company - Inglaterra
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  

Livraria Ateneo – Buenos Aires
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Livraria travessa - Brasil - Rio de Janeiro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  

Livrarias do Mundo – Livraria da Vila (São Paulo/Brasil)

 Há algum tempo falamos da centenaria Livraria Lello, em Portugal. Uma das mais antigas e prestigiada da Europa; como exemplo de livraria e de arquitetura Art Nouveau. As livrarias tem buscado diversificar e manter sua tradição dentro do mundo informatizado. Muitas, hoje, se confundem com  museus e centros culturais na sua aparência. Espaços destinados não só aos livros mas à difusão de outras artes. Cinema, teatro, fotografia, pintura e design são elementos essenciais dentro das livrarias modernas. Algumas se tornam” megas” e conquistam os grandes centros do Brasil e do mundo. Outras mantém a sobriedade e o conteúdo de suas prateleiras originais. Mas a verdade é que um elemento tem transformado as livrarias. Trata-se da arquitetura. Cada vez mais os livreiros tem buscado na arquitetura e no design a sua identidade. O que torna estes espaços um verdadeiro colirio para os olhos e para a curiosidade. É o caso da Livraria da Vila, em São Paulo. A Livraria da Vila completou 25 anos de vida em abril de 2010.  E a sua história é tão bacana que merece ser comparada à de um ser humano. Muita ousadia ou pretensão? Vamos tentar entender. Desde seu nascimento, recebeu a melhor educação possível. Tratada pelos pais, familiares e amigos com muito carinho, ela correspondeu às expectativas e se tornou a queridinha de todos. Charmosa, acolhedora, receptiva e democrática, em pouco tempo a Vila foi adotada por aqueles que compartilhavam a visão de livraria como um ponto de encontro, um lugar para ver gente, comprar livro, passar o tempo, tomar café, ouvir histórias. Nos últimos anos, estabeleceu-se em outras terras, aprendeu artes e outras línguas, sustentou seu interesse original nos livros infanto-juvenis e ampliou o conhecimento em literatura brasileira e estrangeira. Adquiriu gosto por música e filmes. E por eventos culturais. Criou auditórios onde apresenta palestras, cursos, debates, pocket shows e contação de histórias. Sem falar dos lançamentos de livros e seção de autógrafos.  Prova de que os livros não estão perdendo terreno e nem leitores. Mas sim, tornando-se necessários para o desenvolvimento profissional e social.  Projeto do renomado arquiteto Isay Weinfeld, professor de teoria da arquitetura, na Mackenzie, a Livraria da Vila é uma das livrarias do mundo que merecem a visita e uma pausa para leitura. Um templo moderno das letras e da cultura.  Arquitetura e cultura a serviço da formação humana. Confira no site da livraria da vila os eventos e a programação de cada unidade. Vale a pena conferir.

Onde fica:

Rua Fradique Coutinho, 915 – Pinheiros (Livraria da Vila – Fradique)

 Avenida Magalhães de Castro, 12000 – Butantã (Shopping cidade jardim)

 Alameda Lorena, 1731 – Jardim Paulista (Lorena)

 R. Dr. Mário Ferraz, 414 – Itaim Bibi

 Av. Moema, 493 – Moema

Site: www.livrariadavila.com.br

 

 

 

G. Ermakoff – Casa editorial

 

 

Nem só de Bestseller vive nosso mercado editorial. É preciso conhecer e buscar o que de melhor se produz em nossas terras. Este é o caso da Casa Editorial G. Ermakoff. Verdadeiro Oásis para aqueles que apreciam os livros de arte e o conteúdo apurado das boas pesquisas. De Vik Muniz aos esccritos completos de Casimiro de Abreu. Os livros dedicados à fotografia antiga, especialmente os que tratam do Rio Antigo,  revelam cuidado e preservação da nossa memória. O mais recente lançamento, “Theatro Municipal do Rio de janeiro 100 anos”, traz em três capitulos a historia dos teatros no Rio de Janeiro antes de 1909, a Construção do Municipal e os artistas que por lá passaram. G. Ermakoff Casa Editorial nasceu em 2003, no Rio de Janeiro. Editora de livros especializados em fotografias brasileiras do século XIX e início do século XX. Após a bem sucedida edição de “Rio de Janeiro 1900-1930 – Uma Crônica Fotográfica, em 2003”; e “O Negro na Fotografia Brasileira do Século XIX”, em 2004, ambos de autoria do fundador, a editora iniciou uma nova fase em 2005. Desta nova fase surgiram livros como “Duelos no Serpentário – Uma Antologia da Polêmica Intelectual no Brasil, 1850-1950”, livro organizado por Alexei Bueno e George Ermakoff. No ano seguinte, em 2006, reeditou “O Velho Comércio do Rio de Janeiro”, de Ernesto Senna, que originalmente viera a público pela editora Garnier em 1910. Editou ainda, no mesmo ano de 2006, o livro de poesias “A Árvore Seca”, de Alexei Bueno. É por estas e outras perolas que resolvemos publicar  este Post. Para que os leitores descubram a vida inteligente além das prateleiras dos grandes Megastores. Para quem quiser conhecer: www.ermakoff.com.br

 

                                                            

livrarias do mundo – Livraria Lello (Porto – Portugal)

Fundada em 1869, pelo frances Ernesto Chardon, a livraria Lello é um dos tesouros da Europa quando falamos em livrarias. Construida em estilo Neogótico, possui uma magnifica fachada, formada por um amplo arco abatido, cuja entrada se divide numa porta central, ladeada por duas montras que constituem verdadeiramente os expositores públicos da livraria. É uma das principais livrarias de Portugal e referência na Europa. Na época da sua inauguração o jornal O ESTADO DE SÃO PAULO e a GAZETA DE NOTICIAS, do Rio de Janeiro, noticiaram a Livraria em suas paginas. Entrando no interior da livraria, o visitante sente-se envolvido por um ambiente acolhedor, onde pontificam os livros e uma decoração impressiva.  A Livraria, nos dias de hoje, esta restaurada e conta com espaço para exposições, café e um acervo de fazer inveja. É visita obrigatória para leitores, curiosos e apaixonados pela arquitetura. Ir à cidade do Porto e não visitar esta Livraria constitui uma verdadeira heresia. Há uma seção de CDS, gravuras e periódicos. Lello e irmãos também editaram escritores como: Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco, Antero de Quental e outros.

onde fica: Rua das Carmelitas, 144 / Porto/Portugal

e-mail: LelloPrologo@gmail.telepac.pt